terça-feira, 6 de julho de 2010

NÚMERO DE CONSULTAS AO SPC CAI E CDL PERDE RECEITA


Segundo diretor do SPC, Rui Santana, a maioria dos consumidores
substituem o crediário pelos cartões de créditos (foto: divulgação)

A facilidade na compra com o cartão de crédito automático transformou o hábito dos consumidores ao longo dos anos. Isso fez com que deixassem os outros métodos de lado, como a compra pelo crediário. Essa mudança resultou na queda das consultas dos lojistas ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de Feira de Santana.
Segundo o diretor executivo do SPC, Rui Santana, o serviço perdeu a condição de oferecer a cidade dados exatos sobre o desempenho das vendas, devido ao uso constante do cartão de crédito pelos consumidores. Ele afirma, ainda, que no primeiro semestre deste ano os números do Serviço registraram um crescimento de apenas 5%.
Os consumidores dão preferência, hoje, a moeda plástica ao invés do crediário. Sem dúvida, eles vêm usando constantemente os cartões de crédito. Isso tem feito com que a venda na prestação no crediário próprio da empresa diminua”, afirma o diretor do SPC. Ele diz que atualmente é desnecessidade consultar o Serviço, pois a maioria das compras é feita pelo cartão de crédito, que não exige maiores informações sobre o consumidor. “No mês de junho houve movimentações, mas comparado com o mesmo mês em 2009, teve queda de 6%”, salienta.

CHEQUES
O diretor afirma, também, que houve redução de cheques consultado pelas empresas. Ele atribui essa diminuição ao fato da “grande maioria” dos empresários não aceitar mais o cheque como forma de pagamento. “A credibilidade dessa forma de pagamento tende a diminuir a cada dia”, acredita o diretor.
Por Williany Brito
Com informações de Ney Silva
(Matéria publicada no portal Acorda Cidade, no dia 06.07.2010)

1 comentários:

Ministério da saúde disse...

Olá!

Seja parceiro da campanha de doação de sangue do Ministério da Saúde.

Para receber todo material da campanha e saber como participar, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

Att,
Ministério da Saúde.

Postar um comentário