segunda-feira, 20 de julho de 2009

Principais tratamentos contra as estrias






Os valores por sessão ficam
entre R$60,00 a 200,00, mas o
preço varia de clínica para clínica




As estrias são lesões irreversíveis e, portanto, não existe um tratamento que faça a pele voltar ao que era antes. O tratamento visa melhorar o aspecto estético estimulando a formação de tecido colágeno nas lesões. Para isso, se propõem várias técnicas, entre elas: uso de ácidos, peelings, subcisão, dermoabrasão, microdermoabrasão, intradermoterapia e microcorrente galvânica. Estes são procedimentos médicos e apenas os médicos devem realizá-los, indicando o que for melhor de acordo com cada caso. “Alguns tratamentos são mais dolorosos, outros menos. Os valores por sessão ficam entre R$60,00 a 200,00, mas também varia de clínica para clínica”, explica a especialista em dermato-funcional, Mônica Andrade.
Segundo a profissional, o paciente poderá observar resultados já após a terceira sessão, onde o aspecto visual e coloração da estria é amenizado, mas nunca sumindo totalmente. “Cada paciente apresenta uma resposta ao tratamento, e o número médio de sessões gira em torno de 10, podendo ser ultrapassado, se houver resposta, sem contra-indicações”, conta a especialista.
“As estrias iniciais respondem melhor ao tratamento. Portanto, quanto mais rápido for instituído o tratamento, melhor o resultado”, afirma. Segundo ela, os tratamentos mais freqüentes são o peeling de cristal, peelings químicos, eletrolifting e carboxiterapia.

ÁCIDOS
A utilização dos ácidos para o tratamento, especialmente o ácido retinóico, estimula a formação de tecido colágeno, melhorando o aspecto das estrias. Pode haver descamação e vermelhidão e a concentração ideal para cada caso deve ser definida pelo dermatologista, de acordo com o tipo de pele. Deve ser evitada a exposição solar.

OS PEELINGS
Os peelings têm a mesma ação dos ácidos, no entanto, de uma forma mais acelerada e intensa, geralmente levando a um melhor resultado. Também deve ser evitada a exposição solar.

SUBCUSÃO (SUBCISION)
Esta técnica consiste na introdução de uma agulha grossa, com ponta cortante, ao longo e por baixo da estria, com movimentos de ida e volta. O trauma causado leva à formação de tecido colágeno no local, que preenche a área onde o tecido estava degenerado.

DERMOABRASÃO
O lixamento das estrias provoca reação semelhante à dos peelings, com formação de colágeno, mas com a vantagem de regularizar a superfície da pele, que ganha mais uniformidade, ficando mais semelhante à pele ao redor.

MICRODERMOABRASÃO
São microcristais de óxido de alumínio que causam pequenas feridas na pele com estrias, ocorrendo a regeneração posteriormente.

INTRADERMOTERAPIA
Consiste na injeção ao longo e sob as estrias de substâncias que provocam uma reação do organismo estimulando também a formação de colágeno nas áreas onde as fibras se degeneraram. Além disso, a própria passagem da agulha provoca uma discreta subcisão.

MICROCORRENTE GALVÂNICA
Sendo a mais conhecida o STRIAT, tem o objetivo de provocar um processo inflamatório agudo no tecido acometido pela estria, para que haja uma regeneração do mesmo.
LASER
Segundo especialistas, o tratamento a base do laser são os mais eficientes. Nesse grupo, além dos lasers, pode-se incluir a Luz Pulsada. Recentemente, surgiram lasers fracionados, que têm resultados muito bons, como o Fraxel ou o Starlux 1540 fracionado. A luz aquece a derme, estimulando a formação de novas fibras de colágeno. Se a estria for recente, a melhora é grande. Mesmo estrias antigas respondem bem a esse tratamento: elas retraem e ficam mais discretas. A luz também melhora a qualidade da epiderme. Em média, são necessárias de quatro a seis sessões.
Os especialistas alertam que é preciso certos cuidados no período do tratamento. “Não se deve tomar sol no durante o tratamento, para evitar a hiperpigmentação (condição que envolve mais de produção de melanina, pigmento da pele) no local tratado. Nos casos de tratamento de estrias gestacionais e de adolescência, deve-se aguardar para iniciar o tratamento somente quando os níveis hormonais estiverem estabilizados”, orienta a especialista Mônica Andrade.
Por Williany Brito
(Matéria publicada no Jornal Folha do Estado, no dia 19.07.2009)

3 comentários:

Anônimo disse...

oi me chamo thais e tenho muitas estrias na barriga depois do meu filho queria quer vcs mim indicassem alguma clinica nao muito cara mas boa e algumas fotos de antes e depois nao esquecendo o endereco da clinica valeu aqui esta meu msn theytis2@live.com

gabybyg_1995 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Também quero o endereço dessa clinica para estrias nos seios meu e-mail é:thais3402@yahoo.com.br

Postar um comentário